quarta-feira, 10 de maio de 2017

Mas quem sou eu afinal?

Resultado de imagem para imagens. O quanto marcam as palavras
Depois, daquele momento, pesado
Que me fez voltar às lágrimas
Revivendo, todo um passado 
Como poderia ficar, se me deixaste 
Como se toda eu diminuísse,
E nada valesse. Senti-me fraca, sem valores,
Senti que o chão me estaria a fugir
Senti-me o nada, no meio nada,
Olhando o vazio com nuvens amarguradas,
Mas quem sou eu afinal?
~
Saí... saí com vontade de acabar
Com tudo o que me atormenta
E são tantos e tantos momentos
Em que sozinha dou por mim a chorar
Pensando, se valerá a pena continuar,
Esta luta, que meu coração trava
Que me sufoca e me leva a pensar
Se algum dia eu tive valor,
Não sei. Só sei que me apetece partir
Levando de ti, apenas o teu amor.
***
Cidália Ferreira

34 comentários:

  1. Quantas vezes não sentimos que o chão desabou, quantas vezes não sabemos que rumo tomar? Quantas vezes não sabemos quem somos?!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Acho que é mais ou menos normal termos estas fases mais desnorteadas. O importante é regressar a nós!

    ResponderEliminar
  3. Há dias e dias e nuns assim podemos sentir! Linda tua inspiração e poesia! bjs, chica

    ResponderEliminar
  4. Saber/poder 'dar a volta' é fundamental.
    Força, Cidália!
    Beijinho

    ResponderEliminar
  5. Ainda bem que tudo tem começo e fim, com a tristeza e saudade não é diferente.

    bjokas =)

    ResponderEliminar
  6. Todos nós passamos por momentos assim e pode parecer que a nossa vida não tem sentido, mas tem...cada vida tem o seu próprio sentido.
    Vale sempre a pena continuar, o amanhã é um mistério e nele pode estar o melhor da nossa vida.
    Nas voltas que a vida dá nunca sabemos onde vamos parar, por isso não podemos perder a esperança.
    Um grande beijinho

    ResponderEliminar
  7. Querida amiga Cidália, como já disse e digo aqui, és cronista do coração, sentir a vida em todas as suas nuances, pois todos passam por momentos assim, seguir em frente e tirar lições para fortalecer a alma!
    Amei ler como sempre!
    Abraços bem apertados!

    ResponderEliminar
  8. Querida Cidália
    Você derrama em letras toda a emoção que está no coração e nos envolve com esses clamores de dor e desilusão. Uma poema de singular beleza minha querida. Parabéns pela grandiosa composição poética
    Beijos

    ResponderEliminar
  9. É, poesia/vida?
    Dias melhores/poesia menos sofrida?!
    Bjs, querida amiga.
    Irene Alves

    ResponderEliminar
  10. Que poema triste! Mas continuar é algo que vale sempre a pena. :) Beijinhos
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  11. Cidália,sei que o poeta muitas vezes escreve é não o que está sentindo,assim espero que seja igual com você,somente uma inspiração.
    Muito linda,mas triste.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  12. Há momentos assim de grande angustia e sofrimento, mas o mundo não acaba e melhores dias virão sempre. Belo poema.

    Um abraço e boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    Livros-Autografados

    ResponderEliminar
  13. Ha momentos assim,força e seguir em frente.
    O poema é belo.
    Bjs

    ResponderEliminar
  14. Olá Silvia.
    Gostei deste teu poema, com toda a sua expressividade. Um belo poema.
    Um abraço.
    Pedro

    ResponderEliminar
  15. Cidália,
    Existem momentos assim, em que vala parece valer a pena mas tudo passa.
    Tens valor aqui para todos nós.
    A vida é bela, embora às vezes nos pregue partidas.
    Força. :)

    Um abraço bem apertado
    Ana

    ResponderEliminar
  16. Existem momentos assim, em que nada parece*

    ResponderEliminar
  17. é preciso ter força para continuar e acreditar que melhores dias virão...

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  18. Não há desalento que sempre dure...
    Magnífico poema, gostei imenso.
    Bom fim de semana, Cidália.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  19. Pelo menos, uma boa escritora é, de certeza.

    ResponderEliminar
  20. Há momentos que podemos fazer essa pergunta: mas quem sou eu afinal.
    São momentos esses que temos que superar, Cidália bjs.
    http://www.lucimarmoreira.com/

    ResponderEliminar
  21. Há momento assim, mas tudo passa ...
    beijinhos

    ResponderEliminar
  22. Cara amiga Cidália, eis um belo poema romântico. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma linda tarde.

    ResponderEliminar
  23. Se ainda tiver asas junte-se aos meus pássaros
    até ser outro dia
    Bjs amigos

    ResponderEliminar
  24. A Cidália é uma poeta e isso ninguém lhe pode tirar.
    Acredite !
    Um beijinho

    O Toque do coração

    ResponderEliminar
  25. Excelente texto, em que o eu poético se encontra
    em estado totalmente desesperado e depressivo...

    São realmente períodos muito difíceis e é pena
    que as pessoas não sejam aconselhadas a fazer
    psicoterapia...

    Um fim de semana acolhedor.
    Grande abraço poetisa.
    ~~~~~~~

    ResponderEliminar
  26. A passar por cá para desejar um bom fim de semana!

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  27. Um Feliz dia das mães pra você!!

    Por aqui será domingo não sei se ai já foi.

    bjokas com carinho =)

    ResponderEliminar
  28. Um amor sofrido, tão bem transposto em palavras...
    Alguém de muito valor... nos deixa maravilhas, por aqui...
    Beijinhos!
    Ana

    ResponderEliminar
  29. CÍDÁLIA,

    é verdade, por vezes o peso de um amor é excessivamente maior do que as nossas forças para carregá-lo mesmo que, seja somente na lembrança.

    Um abração carioca.

    ResponderEliminar
  30. A nostalgia domina mas a pureza sentimental também! Tudo isso aliado a palavras bem escolhidas por ti só podia originar um poema fabuloso!
    A poesia é assim,tocante, seja na alegria ou tristeza!
    Um abraço grande amiga

    ResponderEliminar